Com viagem de moto pela América do Sul e rali no sertão, Honda quer manter lembrança

Fabricante japonesa é a mais recordada pelos brasileiros quando o assunto é moto, segundo pesquisa Datafolha

Nathalia Durval
São Paulo

​A cada dia, 4.100 motos são produzidas na fábrica da Honda em Manaus, capital do Amazonas. De lá, vão para as ruas das metrópole, para as estradas empoeiradas do sertão e pistas de corrida. Presente no país desde 1986, a Honda é a marca de moto mais lembrada pelos brasileiros, segundo pesquisa Datafolha.

Nas seis vezes que o instituto incluiu a categoria Moto na pesquisa, a fabricante japonesa sempre saiu campeã. Em 2018, alcançou 67% das citações dos entrevistados, seu melhor índice. A marca se destaca, principalmente, entre os homens de 25 e 44 anos —foram 73% das menções desse público.

Para reforçar essa lembrança, a companhia investe em competições esportivas no país, como a SuperBike Brasil, maior campeonato de motovelocidade das Américas, realizado anualmente; e o Rally dos Sertões, disputa que passa por estados como Mato Grosso, Goiás e Tocantins. Realizada anualmente, está na 27ª edição.

Em seu projeto mais recente, “Pro Outro Lado da América”, apostou em uma aventura mais ambiciosa. A bordo de três carros e duas motos Honda, uma equipe de 12 pessoas partiu em uma jornada de 17 dias para cruzar o continente sul-americano.

A viagem percorreu 7.000 km. Saiu de Paraty, no Rio, com destino a Lima, capital peruana. Durante a trajeto, os pilotos (entre eles, o navegador Amyr Klink) visitaram cenários como o Pantanal mato-grossense, o salar de Uyuni, na Bolívia, e o deserto do Atacama, no Chile.

“As pistas são verdadeiros laboratórios para testarmos nossa tecnologia e performance nas mãos dos melhores pilotos”, explica Odair Dedicação Junior, gerente de marketing da Moto Honda.

Qual é a força da Folha Top of Mind para a marca?
Esse reconhecimento do público é muito gratificante para nós, pois é uma premiação reconhecida pelo mercado, que reflete a lembrança espontânea pela nossa marca. O fato de sermos os vencedores há seis anos demonstra o êxito dos esforços contínuos em ações de marketing, lançamentos de produtos e implementação de novas tecnologias, que proporcionam uma pilotagem cada vez mais segura e confortável. 

A Honda Motos se destaca entre o público masculino. De que forma a empresa avalia este resultado?
A Honda tem como premissa desenvolver soluções de mobilidade que atendam às expectativas dos mais variados perfis. Para isso, buscamos conhecer cada consumidor e oferecer o produto ideal, dentre a maior linha do mercado, com modelos que vão de 110 cc a 1.800 cc.

Embora o levantamento tenha indicado a lembrança entre um público majoritariamente masculino, temos observado um movimento crescente de novos motociclistas, principalmente entre os jovens e as mulheres, com destaque no segmento de scooters. Modelos recém lançados, como a Elite e PCX, passaram a atrair novos pilotos, que começam a usufruir da facilidade de pilotagem e da sensação de liberdade que a moto oferta.

O que ajuda na renovação da lembrança da Honda Motos no país?
Estamos sempre atentos às mudanças no estilo de vida da sociedade para mantermos nossa linha de produtos atualizada e conectada com os desejos e anseios dos clientes. Temos uma presença forte em nas redes sociais. Estamos conectados com cerca de 6 milhões de pessoas, sendo a maior rede digital do segmento no Brasil.

E, historicamente, a Honda investe em campanhas de marketing, desde o início das operações aqui, assim como acontece nos outros países em que está presente. Aqui, somos o maior anunciante do setor. Essa forte presença, a ampla rede de concessionárias e a excelência dos serviços pós-venda nos garantem a liderança no mercado de duas rodas. Conseguimos colher bons frutos como a número um na mente dos brasileiros. 

A marca também participa e promove competições profissionais?
Outra maneira de reforçamos a presença da marca são as atividades de competições esportivas da Honda Racing Brasil. As pistas são verdadeiros laboratórios para testarmos nossa tecnologia e performance nas mãos dos melhores pilotos, seja nos campeonatos mundiais, seja nos nacionais, como Rally dos Sertões, SuperBike Brasil, Enduro e Motocross. Os amantes de competições desse tipo se envolvem, acompanham e torcem pela Honda.

Quais são outras iniciativas voltadas aos amantes de motos?
Para os nossos clientes, temos o programa RedRider, desenvolvido para proporcionar experiências inesquecíveis por meio de eventos, viagens, passeios, cursos de pilotagem e ações que tragam satisfação e prazer ao pilotar. Para o público em geral, admirador da nossa marca, inauguramos o Honda Fan Club, museu localizado na sede do CETH (Centro Educacional de Trânsito Honda) em Indaiatuba (SP), aberto a visitações gratuitas, aos sábados, que conta a história das motos produzidas pela Honda no Brasil, desde a primeira CG 125 1976 a modelos exclusivos, como a CBR 1000RR Fireblade, autografada pelo piloto da MotoGP Marc Marquez. 

Quais foram os desafios do projeto "Pro Outro lado da América"?
A viagem foi um projeto desenvolvido junto com a Honda Automóveis e capitaneada pelo navegador Amyr Klink. A bordo de três carros WR-V e duas motocicletas X-ADV, a equipe de 12 pessoas partiu para uma jornada de 17 dias e cerca de 7.000 km para cruzar o continente sul-americano, saindo de Paraty (RJ) com destino a Lima, capital peruana.

O roteiro incluiu a passagem por quatro países —Brasil, Bolívia, Chile e Peru. Durante essa jornada, os veículos da Honda passaram por alguns cenários emblemáticos do continente, como o Pantanal mato-grossense, no Brasil; o salar de Uyuni, na Bolívia; o deserto do Atacama e a reserva nacional las Vicuñas, no Chile; e a reserva nacional de Paracas, no Peru.

Para essa aventura, escolhemos a maxi-scooter X-ADV, modelo que mistura uma moto aventureira e uma scooter urbana. Com capacidade de encarar qualquer tipo de terreno, como os trajetos enfrentados na viagem, o veículo tem um ótimo desempenho e versatilidade. Conduzindo as motocicletas, contamos com dois pilotos experientes: Líbera Costabeber, piloto de enduro desde os 14 anos e uma das organizadoras da categoria feminina do Rally dos Sertões, na qual competiu em 2018; e Marcelo Leite, engenheiro e motociclista com experiência de viagens em cerca de 80 países.

A marca empenhou-se em outras campanhas?
Durante o ano temos diversas ações de marketing para toda a nossa linha, composta por 29 modelos. Dentre as principais, criamos uma campanha muito especial para a Pop 110, chamada “Se é Pop, é Top”, para lançar a versão de 2019. Ela visava homenagear, por meio da literatura de cordel, a motocicleta mais acessível da Honda, que cumpre hoje um papel transformador na vida de milhares de brasileiros, especialmente no Norte e no Nordeste, por ser, muitas vezes, o único meio de transporte de famílias nessas regiões.

Campanha 'Se é Pop, é Top', da Honda Motos
Campanha 'Se é Pop, é Top', da Honda Motos - Divulgação

As histórias, divulgadas em formato de websérie no Instagram, contavam como a Pop pode melhorar a vida das pessoas. O resultado foi muito positivo nas redes sociais. Nossa busca constante por inovação permeia o desenvolvimento de toda a estratégia de comunicação com o público. Estamos apostando em formatos mais contemporâneos, que possibilitam a Honda estar próxima de seus atuais e potenciais consumidores, além de promoverem identificação com a marca e preservarem a imagem construída ao longo dos anos. 

Como a Honda Motos encara o cenário brasileiro?
A Honda acredita no potencial do mercado brasileiro, um dos mais importantes do mundo, por isso mantém investimentos constantes em suas unidades. Hoje, vivemos um cenário dinâmico, com consumidores cada vez mais exigentes.

Alinhados ao cenário macroeconômico e com a retomada do setor duas rodas, realizamos um importante investimento de R$ 500 milhões, a ser finalizado até 2021, visando a modernização de nossa fábrica, para tornar a Moto Honda uma referência em eficiência. Será uma completa transformação na produção, que irá proporcionar ganhos significativos em logística, melhorias nos postos de trabalho e avanços tecnológicos. Juntos, irão contribuir para a competitividade da empresa no mercado e a entrega de produtos com alto valor agregado.

Quais são as próximas ações da Honda no segmento motos?
Vamos continuar atentos ao estilo de vida da sociedade e às tendências de mobilidade para o segmento a fim de mantermos o lineup inovador. Neste ano, temos o Salão Duas Rodas, principal evento do setor. Mais que apresentar os principais lançamentos, buscamos levar ao público tudo o que está por trás dos produtos em si: a filosofia da marca, a tecnologia e design. Por ser uma oportunidade única, estamos preparando algumas novidades.

Em um mercado tão competitivo, o que é necessário para continuar Top of Mind?
Hoje em dia, as pessoas estão cada vez mais rápidas e exigentes. Não há como deixar esse fator de lado na estratégia de comunicação e, principalmente, na construção e gestão de marca. As empresas que pensam e demonstram empenho e respeito em fazer o melhor para o cliente são reconhecidas em seus segmentos.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.